Como treinar um cão? Os tutores querem acima de tudo que o seu melhor amigo seja feliz. Contudo, têm que evitar que ele tenha comportamentos indesejados, tais como ladrar ou roer objetos. O ideal será treiná-lo desde cachorrinho, ou, caso seja um cão já adulto, treine-o logo que ele chegue ao lar.

O programa de treino deve começar logo que seja possível, assim assegura que o seu cão tenha bons comportamentos na sociedade. Para além de tudo isso, ao aprender a sentar e a andar quando lhe é pedido, pode evitar de situações perigosas.

1. Ensiná-lo a fazer as necessidades no sítio certo

Um dos primeiros desafios que o dono tem quando tem um novo cão em casa é: ensiná-lo a fazer as necessidades no sítio correto.

Os cães são animais limpos, quando têm 8 ou 9 semana afastam-se do sítio onde está o resto da ninhada para irem fazer as suas necessidades longe, e assim deixam o ninho limpo, sem mau cheiro e livre de pragas.

Mesmo que sejam limpos ao ponto de se afastarem da ninhada, o cão precisa de aprender que a rua ou um sítio específico, é o local certo para fazerem as suas necessidades. Os cães que têm apenas 3 ou 4 meses de idade, não têm um controlo voluntário dos seus esfíncteres, assim tem que o ajudar a aprender os hábitos de higiene básicos.

Precisa primeiro de estudar o seu cão e tentar perceber quais são os sinais que ele faz quando tem vontade de urinar ou defecar. Os sinais são variados: podem começar a afastar-se do dono ou farejam o cão e andar em círculo. Cada cão tem a sua maneira de demonstrar, basta o tutor estar atento. Ao fim de algum tempo fica mais fácil de perceber em que alturas do dia é que o cão precisa de fazer as necessidades.

Tem que entender que os patudinhos de 3 ou 4 meses não aguentam estar 3 ou 4 horas sem fazerem as suas necessidades. Assim, se não lhe der a possibilidade de fazer no sítio certo (levá-lo a passear ou deixá-lo no sítio onde deve fazer as necessidades), frequentemente, ele irá defecar e urinar no sítio que lhe convém.

Quando o leva ao sítio certo e ele faz as suas necessidades, deve presenteá-lo com um snack. Contudo isso depende sempre se o pode vigiar ou não:

  • Caso se possível vigiar: Deve estar sempre a vigiá-lo, pois terá a possibilidade de observar os seus comportamentos. Assim que vê que ele vai fazer as suas necessidades tem que chamá-lo à atenção (com palmas ou um barulho leve) e levá-lo para o sítio onde deve fazer as necessidades. Caso ele as faça no sítio correto recompense-o com um miminho ou um biscoito ou elogios, caso ele não faça no sítio correto deve continuar a vigiá-lo e voltar a repetir todo o processo até ele fazer no sítio certo. Ao estar sempre a vigiá-lo, ao fim de algum tempo, vai saber quando é que ele tem vontade de fazer as necessidades, ou seja, pode ser após acordar ou depois de uma sesta, depois de fazer exercício físico com o dono, sozinho ou com outros cães, depois de ter comido.
  • Caso não seja possível vigiá-lo: Sempre que o deixar sozinho, e para evitar que ele faça as necessidades num sítio errado, deve agir da seguinte forma:
    • Durante as alturas que não está em casa deixe o seu cão numa parte da casa (numa sala ou numa zona da sala).
    • Nesse sítio deve ter sempre água, comida e uma caminha para o cão. Pode também deixar-lhe um brinquedo para ele se entreter.
    • No sítio oposto aos objetos destinados para ele, coloque um material para ele fazer as necessidades, como, por exemplo, um resguardo absorvente.

Caso o cão já vá à rua deve treiná-lo na mesma:

  • Deve ter a trela curta para poder estar junto dele quando ele fizer as necessidades, assim poderá recompensá-lo ou mimá-lo. Depois de ele ter feito tudo, dê um grande passeio com ele e brinque também, pois, se for logo embora ele vai evitar ou retardar o ato de urinar e defecar para passar mais tempo na rua.
  • Se tiver alguém que tem um cão, que já sabe fazer as necessidades direitinho, seria bom os dois patudos passearem, uma vez que os cães aprendem muito bem por imitação.

Nunca deve castigar ou punir o patudo quando ele faz as necessidades no sítio errado! Quando o cão faz as suas necessidades sente-se muito mais confortável, então, é muito mais fácil ele saber onde deve fazer quando obtém um miminho.

2. Treinar o cão para ele não ladrar muito

Os cães, ao contrário dos seres humanos, não contam tanto com a comunicação vocal, mas, mesmo assim, é uma parte importante para eles exprimirem as suas emoções aos outros patudos ou aos humanos.

Para além do típico “Au!”, o cão também gane, late, faz gemidos, uivos, lamentos e rosnam.

Os cães que ladram, pode significar problemas de separação com o dono ou porque ele está a avisá-lo que está alguém na porta ou mesmo enquanto brinca, pode ladrar, para demonstrar que está feliz. Contudo quando é um ladrar excessivo porque o cão fica demasiado excitado ou até por medo, pode ser uma situação complicada, principalmente se tiver vizinhos.

Quando um dono se chateia, porque o cão está a ladrar muito, podem falar um pouco mais alto ou até gritarem para ele parar de ladrar. Isso nunca é bom pois o cão vai pensar que é uma ameaça ou então pensa que está a ladrar com ele.

Primeiro canse o seu cão com uma boa atividade física, pois, um cão mais cansado é um patudo muito mais calmo. Treinar o seu cão para não ladrar, por norma, envolve a técnica de “falar e calar!”. Pode ser um pouco confuso, mas consiste em ensinar o patudo a falar apenas sob as ordens do dono.

  • Primeiro coloque alguém do lado de fora da sua casa e você e o seu patudo dentro de casa.
  • Quando o seu parceiro de treino tocar à campainha peça ao seu cão para “falar”.
  • Se ele falar dê-lhe um snack e elogios
  • Continue a praticar esse exercício em diversos locais e por períodos curtos. Diga apenas “fale” tendo ou não alguém do lado de fora!

Quando ele já souber “falar” apenas sob os seus comandos, vai agora ensiná-lo a “calar”

  • Peça ao seu cão para ele “falar” e recompense-o quando ele o fizer
  • Depois diga para ele se “calar” e distraia-o com um snack ou com brinquedos. Como ele não consegue ladrar e comer as guloseimas ao mesmo tempo, irá ter que parar de ladrar para o fazer. Quando ele o fizer, volte a dar-lhe snack e muito miminhos!
  • Repita esta técnica várias vezes até ele obedecer ao “calar” e interromper o ladrar.

O ladrar dentro do carro é um problema muito comum, pois é uma maneira deles protegerem o território, pois ele, sente-se frustrado porque os objetos e as pessoas não param de passar e ele não as consegue ir cheirar ou até perseguir. Pode estar também a ladrar porque sabem que uma viagem de carro significa um excitante viagem ao parque, ou porque pensa que vai ao veterinário.

Se já lhe ensinou a técnica “falar e calar”, mas ele continua a ser muito ruidoso no carro, pode necessitar de fazer algumas alterações no treino e mostra-lhe que o carro é um sítio comum e não um local para ser excitante.

Primeiro dê-lhe um brinquedo para ele ficar entretido. Faça isso com o carro desligado e depois com o carro ligado, se ele se mantiver calmo enquanto o carro está ligado comece a dar uma pequena volta com ele, se ele voltar a ladrar pare o carro até ele parar. Repita este processo até fazer uma viagem completa sem que ele ladre e esteja calmo. Lembre-se que para haver resultados é necessário ter bastante paciência e não deve desistir!

Se mesmo com estas técnicas ele continuar a ladrar ou se os atos de vocalização se alterarem, leve-o ao veterinário, pois, pode ser uma questão clínica. Se não for, pergunte ao seu veterinário por um especialista em comportamento canino.

3. Treinar o cachorro para ele se sentar quando lhe pede

Ao ensinar este comando básico ou este truque, precisa de fazer esta técnica com paciência e disciplina. Caso faça o contrário, o patudo irá sentir-se stressado, com medo, ansioso, e não irá aprender nada.

Ensinar o seu patudo a sentar é bastante simples, mas isso não significa que seja fácil. Cada cachorro é único e por isso vais responder aos ensinamentos de maneira diferente de um outro cão.

Primeiro leve-o para um loca calmo e sem barulho, se for possível organize um espaço que seja especialmente para o treinar. Segure numa guloseima sobre o nariz do patudo e mova a sua mão para cima e para baixo, por cima da cabeça do cão. Quando ele começar a seguir a guloseima, irá sentar-se, enquanto ele fizer isso diga uma única palavra “senta” e dê-lhe o snack apenas quando ele se sentar. Irá ser necessário fazer isso várias vezes até que ele se sente sem nenhuma guloseima apenas com a palavra “senta”.

4. Treinar o patudo para se deitar quando lhe pede

Ao treinar o seu patudo para se sentar é uma mais-valia, pois, mantêm o cão mais calmo e menos impulsivo, para além de fortalecer os laços consigo.

É importante lembrar que o sistema cognitivo do seu patudo funciona a partir de guloseimas e mimos. Assim, enquanto o estiver a treinar, tem que ter sempre snacks na mão para ele obedecer aos comandos.

Tendo já o snack na mão siga os seguintes passos:

  • Primeiro ele tem que se saber sentar, assim que ele estiver sentado dê-lhe um miminho
  • Com o snack na mão, leve lentamente até ao chão enquanto diz “deita”. Assim ele irá deitar para ir buscar a guloseima
  • Mostre que ele está certo dando-lhe o snack e elogios
  • Repita este treino várias vezes, em sítios diferentes, até ele conseguir deitar só quando diz “deita”. Ao treinar várias vezes com ele irá tornar este truque num hábito.

Cuidado! Não dê snack em excesso. Aconselhamos a utilizar ração já a contar com a quantidade diária que ele come. Enquanto ele treinar, se falhar, nunca o recompense, pois ele não irá entender o que deve ou não fazer.

Nunca force o seu cachorro puxando com a coleira até ao chão ou até com a mão. Estes treinos necessitam que haja repetição, exigência e muita paciência, lembre-se que os cães são todos diferentes e o tempo de treino varia sempre. Ao fim de 15 ou 20 minutos o seu patudo está muito cansado, não se esqueça de dar uma pausa no treino.

5. Treinar o cão para ele não destruir objetos, nem morder as pessoas

O seu patudo está constantemente a morder objetos ou as mãos das pessoas? Este é um dos problemas mais comuns, principalmente quando eles são pequeninos. Torna-se um problema ainda mais grave quando ele rói apenas objetos de valor, por exemplo, comandos da televisão, um acessório, mesas ou cadeiras, e por vezes até a parede de casa!

É muito importante treinar o seu cão para evitar que este problema permaneça.

Cachorrinhos que mordem objetos

Os cães que são pequeninos têm uma grande necessidade de morder coisas para aliviar a dor nas gengivas causado pelo crescimento dos dentes, ao morderem as coisas sentem um alívio na dor.

O que fazer?

  • Primeira etapa é comprar um mordedor. Existem diversos brinquedos com imensos tamanhos, cores e feitios, só tem que arranjar o ideal para o patudo. Vá comprando vários e veja qual é aquele que mais se adequa.

  • Quando lhe der o novo mordedor coloque-o num espaço ou numa sala vazia. Quando ele começar a brincar e a morder o brinquedo, dê-lhe um presente guloso e elogie-o com festinhas.
  • Brinque também com ele utilizando o novo brinquedo!
  • Apesar de que ao treinar o seu cão deve utilizar sempre um auxílio positivo. Contudo ele também deve aprender a palavra “não”, quando está a fazer alguma asneira utilize esta palavra e ao mesmo tempo aponte para o objeto.
  • Aconselhamos que toque no ombro de modo a que ele se distraía com o objeto e fique com a atenção virada para si. Este é um sistema utilizado na matilha. Quando ele estiver distraído, pegue nele e coloque noutro local com o brinquedo mordedor.

Lembre-se que deve fazer sempre isto quando vê que ele vai morder algum objeto. Demora algum tempo, mas com paciência e dedicação irá começar a ver resultados positivos!

Caso ele continue a morder, e pior, se começar a morder as suas mãos deve:

  • Fingir que sente muita dor: Deve manifestar que sente muita dor por ele ter mordido, tire o brinquedo e quando ele estiver calmo volte a dar-lhe. Faça este processo várias vezes até que ele perceba que ao morder a brincadeira acaba.
  • Afaste-se um pouco dele: Este passo adequa-se mais nos cães mais velhos. Enquanto ele está a brincar e, ele o morder, deixe de brincar e vá-se embora. Faça uma pausa e depois retorne a brincar com ele e repita novamente o processo caso ele volte a mordê-lo. Provavelmente ele irá perceber que se continuar a morder a brincadeira acaba.

Cães adultos que mordem objetos

Quando um cão adulto continua a morder objetos da casa, pode tratar-se de acumulação de energia ou ansiedade. Tem que ser muito rigoroso com as refeições, os horários de passeio e o tempo de exercício físico. Se todos estes pontos forem seguidos à risca e ele continuar a morder passamos para o seguinte ponto: ansiedade. Neste caso aconselhamos brinquedos da Kong, que são especialmente criados para cães adultos que não param de morder

As etapas são muito parecidas com as fases nos cachorrinhos, desde que o mordedor seja o mais indicado para além. Continue a ser firme e irá ver que ele deixa de roer os objetos. No caso do seu cão ser adulto e ainda morder não só nos objetos, mas também na pessoas aconselhamos que vá a um profissional de forma a evitar, que no futuro, aconteça uma tragédia.

Se com todos estes passos ele continua a morder os objetos, aconselhamos a que procure um profissional nesta área. Pois se este problema continuar irá causar ansiedade, não apenas no cão, mas no dono também.

6. Treinar o cão para ele saber passear com a trela corretamente

Dar longos passeios com o seu patudo é uma das atividades preferidas dele, para além de ajudar na vossa relação, descobrem coisas novas juntos! Contudo, tem que ensinar o seu cachorro a andar de trela, pois é uma competência vital e prioritária para tornar o passeio mais prazeroso.

Se o seu patudo começar a puxar muito durante o passeio ou se se recusa a andar sem puxar com muita força, quer dizer que está a controlar com a força física, em vez de passear alegremente ao seu lado.

Isto pode tornar-se um problema, principalmente, se o seu patudo tiver um porto grande e robusto, assim, deve corrigir este comportamento o mais rapidamente possível!

Treinar para usar corretamente a coleira

O primeiro passo antes de o cão aprender a andar com a trela é ele sentir-se bem com a coleira ou com o peitoral que tem. Ele precisa de estar confortável, pelo que deve escolher uma coleira/peitoral leve para que ele não sinta nenhum peso no pescoço/ombros:

Nas coleiras tem que garantir que estão bem ajustadas, tem que haver espaço suficiente para colocar dois dedos entre a coleira e o pescoço do cão. Verifique sempre a coleira/peitoral antes de ir passear, pois, se estiver muito larga ele pode fugir, ou se estiver muito apertada ele pode ficar magoado.

Se ele não gosta de utilizar a coleira tente o seguinte: coloque a coleira e imediatamente distraia-o com um snack ou comece a brincar com ele. Quando ele ficar distraído e se esquecer da coleira volte a tirar. Ao longo do tempo vá aumentando o tempo que ele fica com a coleira até que ele fique habituado em utilizá-la.

Treinar para saber usar a trela

Quando ele já estiver confortável com a trela, antes de começar a passear com ele deve prender uma trela à sua coleira. Estar com a trela é outra sensação à qual ele necessita de se habituar, gradualmente.

  • Prenda uma trela à coleira e acompanhe o seu cão à volta do jardim, assegurando-se que a trela se mantém folgada. Assim, ele não se vai aperceber que está com ela.
  • Após alguns minutos, retire a trela e brinque com ele, antes de voltar a prender a trela, tente andar junto dele por onde ele quiser andar, depois volte a colocar a trela e mantenha-a larga para que ele não sinta qualquer resistência.
  • Brevemente, o seu cão adulto ou cachorro estará pronto para andar à trela e para explorar o mundo!

Treinar para andar ao seu lado

Quando ele já souber sentar, está na hora de pensar em como o treino o pode ajudar a passear com ele de trela.

  • Em primeiro lugar, ensine-o a andar junto a si com a trela e chame a sua atenção, dizendo o seu nome e mostrando-lhe um snack. Isto será suficientemente apelativo para fazer qualquer treino valer o esforço!
  • De seguida, incline-se para a frente e dê alguns passos, encorajando o seu cão a andar também. Neste momento, o seu cão deverá ser recompensado e elogiado por quaisquer passos em frente que dê porque está a aprender uma competência nova.
  • Incentive o seu cão a “sentar” junto a si e volte a dar uns passos em frente.
  • Treine-o para andar em frente em muitas sessões de treino curtas e, quando o seu cão andar ao seu lado, sem colocar qualquer pressão na trela e sem andar ligeiramente à sua frente ou ficar um pouco para trás, diga “junto” para que ele associe andar junto a si com esse comando de voz.
  • Se o seu cão ficar para trás, imprima maior dinamismo nos seus movimentos e utilize um tom de voz mais animado. Tal como você, o seu cão pode ficar aborrecido e é muito mais fácil focar-se em alguma coisa que pareça mais divertida!
  • Se o seu cão vai sempre à sua frente, quando anda à trela, é porque quer chegar a algum sítio rapidamente. Mantenha-se simplesmente parado (ou comece até a andar para trás), chame-o para vir novamente para o seu lado e recomece o exercício.
  • As suas sessões de treino são tão excitantes, especialmente para um cão jovem, assim pode envolver alguns puxões. No entanto, o treino de andar à trela ficará mais fácil. O seu cão compreenderá rapidamente que puxar a trela é contraproducente para chegar a algum lado.
  • Quando o seu cão começar a perceber os conceitos básicos, pode tentar repetir estes exercícios de treino em locais mais movimentados e com mais distrações.

Quando o seu cão andar bem com a trela e junto a si dentro de casa ou no seu jardim, comece a andar com ele à trela noutros locais, isto se ele já estiver totalmente vacinado! Passear um cão à trela nem sempre é fácil. Lembre-se que ele quererá investigar todos os novos espaços, sons e cheiros, pelo que não deve exigir demasiado dele em pouco tempo.

Na rua, precisará de se esforçar mais para competir pela atenção do seu cão, pelo que deve levar algumas recompensas especiais, ensinando-o de que focar-se em si vale a pena!

Mantenha as sessões de treino curtas e positivas, terminando sempre com um snack e, de seguida, proporcione-lhe uma sessão de brincadeiras juntos.

Conhecer pessoas e outros patudos

Andar com um cachorrinho ou com um cão adulto à trela, nem sempre é fácil. Muitos cães ficam demasiado entusiasmados, quando veem outras pessoas ou cães a passear perto de si, e puxam a trela para os irem cumprimentar!

Se vir alguém a aproximar-se, coloque uma guloseima no seu bolso, chame o seu cão pelo nome e, de seguida, mostre-lhe calmamente o snack, na qual ele se deve focar. Quando ele passar pela pessoa, dê-lhe muitos elogios e a seguir pare para lhe dar a recompensa. Ele rapidamente aprenderá boas maneiras se for recompensado desta forma.

Quando o seu patudo já andar alegremente e de forma consistente com a trela sem a puxar, reduza o número de recompensas e dê-lhe apenas uma guloseima ocasional para recompensar bons comportamentos, por exemplo, passar calmamente por uma distração excitante como um gato. Não deixe totalmente de lhe dar recompensas. Recompensas ocasionais manterão o seu cão interessado e concentrado mais do que recompensas constantes ou nenhuma recompensa!

7. Como treinar o seu patudo para ele ficar menos excitado

A excitação nos cães, por vezes, é vista pelo dono como uma forma de alegria. Obviamente que toda a gente quer o seu patudo alegre, mas tenha em atenção, pois este estado pode ser um problema para a convivência social e em casa.

Em casa, quando temos um cachorrinho alimentamos a excitação deles pegando-lhes ao colo ou quando falamos eles ou brincamos e interagimos com eles. Damos-lhe sempre mimos quando ele começa a pular para nós ou quando fica todo excitado por nos ver. Contudo, essa excitação no mundo animal, em excesso, não é bem vista e é sempre corrigida quando começa a prejudicar a matilha.

Quando o cão começa a crescer e essa excitação não é bem corrigida, esse comportamento pode tornar-se inconveniente e intolerável.

Sinais de excitação:

  • Fica muito excitado e alterado quando conhece novas pessoas e animais
  • Rabo balança sem parar, o corpo não para de se mexer e uma aproximação bruta na direção de outro patudo ou seres humanos.
  • Está constantemente a pular e a ladrar
  • Não consegue ficar quieto
  • Respiração muito acelerada
  • Olhos muito abertos
  • Caminha de forma descontrolada e puxa o dono com força na direção do estímulo
  • Invade o espaço das outras pessoa e dos outros cães

Estas podem ser algumas formas que o seu patudo pode mostrar excitação. Na verdade, os cães que estão sempre excitados não são patudo felizes, pois, ela gere neles uma constante aceleração do corpo e da mente. Essa excitação extrema pode provocar um grande desequilíbrio na saúde do seu patudo, assim como gera uma grande dificuldade de relaxamento e tranquilidade.

Como se deve alterar este estado?

  • Altere a postura que tem com o seu patudo durante estes momentos de excitação
  • Quando ele começar a ter um momento de excitação, fale com ele de forma firme, objetive e calma
  • Fale apenas uma vez, se disser várias coisas seguidas transmitimos nervosismo, por isso utilize mais a linguagem corporal.
  • Defina o espaço. Quando um cão está muito excitado costuma invadir o espaço das outras pessoas/cães. Não permita que ele suba ou pule, estabeleça um espaço para ele estar, será o local onde ele se acalma.
  • Alimente e trate da saúde mental do seu patudo, isso engloba, uma boa alimentação, caminhadas e uma rotina doméstica e social. Quanto mais calmo o dono estiver mais calmo será o seu cão.
  • Ensine o seu cão a esperar. Esta atividade requer muita concentração, calma e gasta imensa energia, mas se for feita de forma correta, vai ajudar imenso o seu cão a relaxar e a acalmar-se em certas situações.
  • Quando for passear com ele, decida como vai ser a sua caminhada. Nunca o deixe puxar, ele deve andar sempre ao seu lado ou ligeiramente atrás de você. Evite que as pessoas ou outros cães, durante esse processo de aprendizagem, se aproximem dele.

O seu patudo irá contar consigo durante este processo, ele irá testar a sua paciência e tolerância. Não quebre nenhuma regra estabelecida e seja firme, pois se as quebrar depois demora mais tempo para conseguir que ele ter volta à rotina.

8. Como treinar o seu patudo para não roubar comida

Primeiro tem que perceber que deve colocar limites, caso não coloque, ele nunca vai perceber o que é correto ou não. Uma das causas para esta situação é o stress e o aborrecimento.

Porque é que há cães que roubam a comida dos donos?

Muitas das vezes o cão rouba comida porque os donos não o souberam educar, por exemplo, os patudos tiram a comida e os tutores simplesmente não dizem nada. Para o cão isso significa que não estão a fazer nada de mal.

Uma outra razão para isso acontecer é o fastio. Assim eles roubam a comida para terem algo para fazer e para se divertirem. E mesmo que ele seja repreendido, ele vai achar que fez algo de bom porque teve a atenção dos donos.

O stress também pode ser uma das causas para esse comportamento. Por exemple se ele está habituado a estar com os donos diariamente, caso ele passe um dia sem eles, irá sentir-se stressado, irá ter esse comportamento para chamar a atenção.

Isso também acontece ee o animal for muito guloso ou comilão, é normal que tenha esse tipo de comportamento.

Como é que se evita que o patudo roube comida?

É necessária muita paciência e dedicação para treinar o patudo para deixar de roubar a comida:

  • Deve comer sempre na mesma tigela: Desde que chegam ao lar, os donos devem treinar o patudo, para que comam apenas naquela taça/tigela/comedouro. Assim ele irá aprender que, a comida que estiver fora do sítio onde ele come, não é para ele.
  • A comida proibida deve estar fora do alcance do patudo: Quando se trata de comida os animais conseguem ser muito engenhosos, por isso, quando deixa comida em algum lugar que seja sempre for do campo de visão e olfato do cão. Guarde, preferencialmente, no frigorífico ou num armário.
  • Deve treinar o seu patudo a acalmar-se enquanto está a comer: Enquanto está a comer nunca lhe dê uma parte da sua comida! É um erro muito comum que deve ser corrigido. Deve mantê-lo noutro compartimento ou longe do sítio onde faz as suas refeições. Nunca se deixa levar pela expressão fofa que ele faz.
  • Não o deixe comer na rua durante um passeio: Nunca deve deixar que ele roube comida em casa nem na rua durante o passeio. Muitas vezes eles vão ao saco do lixo e tentam comer algo que lá está, para além de pouco higiénico pode ser muito perigoso (pode cortar-se em vidros ou comer medicamentos fora de validade).

Por isso deve treinar desde pequeno a não comer comida dos seres humanos!

9. Como treinar o seu patudo a não saltar para cima das pessoas

Saltar é uma das formas dos patudos demonstrarem que estão contentes, contudo, quando ele é grande e robusto não é uma boa ideal ele andar a saltar para cima das pessoas. Quando ele chega ao novo lar, e está a brincar com ele, nunca o deixe saltar para cima de si, por isso, assim que ele para, deve recompensa-lo com um snack e mimos.

Relacione esse momento em que ele vai saltar a uma palavra e gesto, por exemplo diga “não” ou “para” e estique o seu braço como sinal de afastamento.

Quando ele saltar nunca se baixe nem incline, pois, ele irá ver esse gesto como um incentivo. Fique vertical e imóvel, cruze os braços mantenha o contacto visual com ele. Quando ele para faça-lhe festas e dê-lhe uma guloseima.

10. Como treinar o seu patudo para não saltar para o sofá ou cama

Quando o patudo é cachorrinho é normal o dono deixá-lo estar no sofá ou até a dormir na cama. Quando ele começar a crescer muito esse hábito poderá começar a ser um problema.

Primeiro deve definir se irá deixá-lo subir em alguma altura da vida dele ou nunca. Primeiro de tudo tem que incluir toda a família nesse processo, pois, caso você o proíba de ir para cima do sofá ou cama e depois um outro membro da família o permita, o cão irá sentir-se muito confuso. Por isso encarregue toda a família de respeitas todos os passos:

  • Caso queira que ele suba para o sofá ou para a cama: Caso o deixe estar sempre no sofá, estando ou não sozinho, quando tiver uma visita e não o deixar subir ele não vai entender e irá tentar sempre subir, estando ou não alguém lá. Se o deixar subir para o sofá/cama deve limpar-lhe as patas, principalmente depois do passeio e se estiver a chover. Coloque também um cobertura para proteger o sofá.
  • Ele só pode subir quando o dono manda: Pode treinar o cão para que suba para a cama ou para o sofá só quando você mandar. Pode ser desafiador e difícil no começo, mas se for paciente irá conseguir. Convide-o a subir uma única vez para o sofá ou cama e mande-o ir para a cama dele quando você se levantar desse sítio, ou seja, ele só pode estar nesse local quando você manda.
  • Não quer que o seu patudo suba para a cama/sofá: Se não quer que ele suba para o sofá ou cama, nunca, em qualquer altura, deixe que ele o faça. Seja consistente e sempre que ele tentar subir diga para ele ir para baixo, ele tem que perceber que esses sítios são proibidos.

Caso não queira que ele suba para a cama/sofá quando está em casa, primeiramente, deve definir palavras e gesto para ele não o fazer. Por exemplo a palavra “não” ou “para” ou “sai” juntamente com um gesto com o braço em sinal de proibição.

Caso o encontre sentado ou deitado nestes sítios proibidos mande-o ir para a sua caminha, assim, ele vai entender que essa é o sítio onde ele deve estar.

Nunca utilize a força bruta nem a violência, apenas lhe de guloseimas ou elogios quando ele fizer algo de bom. Lembre-se que ele deve ter a sua própria cama, pois o conforto, é muito melhor do que o chão.

Caso não queira que ele suba para o sofá/cama enquanto não está em casa, deve, primeiro, treinar o patudo para ele não subir para esses sítios quando está acompanhado e assim quando não estiver com ele, o patudo não suba para lá.

Se ele subir na mesma quando não está ninguém em casa, o melhor será criar barreiras nesse sítio e assim irá impedi-lo fisicamente de o fazer. Para além disso existem repelentes para sofás e móveis.

Esperamos ter ajudado com estas 10 dicas de como treinar o seu cão

Não se esqueça de nos acompanhar no nosso Facebook e Instagram!