Os patudos são fontes inesgotáveis de amor e felicidade e cabe a cada dono tentar retribuir ao máximo o que eles dão.

Há maneiras simples e práticas de garantir uma vida melhor para o seu patudo, que o deixarão tão alegre quanto ele necessita, porque sempre que precisa dele, ele está lá para o apoiar com umas boas lambidelas e não só!

Algumas atitudes da parte do dono fazem com que o dia deles seja ainda melhor, por isso preparamos estas 10 dicas para que consiga levar ainda mais alegria e felicidade ao seu cão e, consequentemente, a si mesmo! Descubra:


1.Mantenha uma alimentação saudável e equilibrada!🦴

O primeiro passo é fornecer ao seu cachorro a alimentação mais correta para os manter saudáveis, felizes e ativos o máximo de tempo possível, a alimentação do seu cão necessita de ter o equilíbrio correto dos 6 grupos de nutrientes principais: proteína, gorduras/óleos, vitaminas, minerais, carboidratos e água. Certifique-se que compra a ração com todos os nutrientes necessários para ajudar a manter a saúde do cão em dia!

Cada animal doméstico é único e, por isso, precisam de uma alimentação adequada às suas necessidades (idade, problemas de saúde, porte, raça, comprimento do pêlo, etc). Se sente que precisa de apoio a esse nível aconselhamos a ir a um veterinário ou a um nutricionista de cães para saber o que é melhor para ele. Pode ainda pedir ajuda a partir da nossa página de Apoio Veterinário!

É muito importante que o seu patudo faça as refeições no horário certo, pois eles têm hábitos diferentes de se alimentar. Geralmente, comem duas ou três vezes ao dia.  

Quando os patudos fazem aqueles olhinhos de suplica, ninguém conseguem resistir à tentação de lhes dar um pedacinho da sua comida! Não é aconselhado dar da sua comida, por mais que queira mimá-lo, é preciso entender que há certos alimentos que são aparentemente inofensivos, mas podem ser letais para o patudo, pois, os animais têm um sistema diferente do ser humano. Pode ver no nosso Blog “Alimentos proibidos para o seu animal de estimação” quais os alimentos que deve e não deve dar.

Dar de vez em quando ao patudo um delicioso snack ajuda na hora do treino, e é também um grande reforço na sua relação com ele. Mas, se lhe der biscoitos em excesso ou os que não são os mais indicados para ele, pode desequilibrar a dieta do seu cão e originar problemas de peso, entre outros.


2.A saúde em primeiro lugar!🩺

O seu melhor amigo é uma parte importante da sua vida e quanto mais saudável ele é, mais feliz e ativo ele vai ser! Os patudinhos merecem todo amor e cuidado de seus donos. Levar o cachorro ao veterinário é um deles.

  • VACINAÇÃO

A vacinação contra as principais doenças infeciosas constitui a melhor forma de prevenção. É importante que o patudo mantenha um bom estado de saúde, e para isso contribui para um sistema imunitário maduro e desenvolvido.

Normalmente a primeira vacina dos cachorrinhos deverá, regra geral, ser administrada entre as 6 e as 8 semanas de idade. Esta vacina em particular deverá desencadear uma resposta imune contra pelo menos os vírus responsáveis pela parvovirose e pela esgana, ambas doenças graves e frequentemente fatais.

Por norma se adotar ou comprar um patudo ele já vem com uma caderneta de saúde e terá de ter, pelo menos, essas as primeiras vacinas em dia. Se for um animal que vem sem caderneta, ou seja, não sabemos se tem as vacinas em dia, ele não deve ter contacto com outros animais, por forma a evitar o contágio de infeções, até ir a um veterinário.

A única vacina obrigatória, em Portugal, nos cães é a vacina da raiva ou vacina antirrábica. Atualmente, existem diferentes vacinas antirrábicas disponíveis, conferindo imunidade contra o vírus da raiva, nalguns casos, até 3 anos. Alguns municípios têm iniciativas de vacinação para cães gratuita contra o vírus da raiva. É importante salientar que a vacina só vai ser reconhecida como válida perante as autoridades se aquando da sua administração o animal tiver o Microship devidamente registado no SIAC (Sistema de Informação de Animais de Companhia).

As vacinas múltiplas ou vacinas polivalentes, como o próprio nome indica, têm uma proteção simultânea para mais do que 1 agente infecioso, chegando nalguns casos a incluir 8-10 antigénios distintos (conhecidas como vacinas v8 e vacinas v10). Embora estas vacinas polivalentes não sejam vacinas de administração obrigatória, elas são vacinas com extrema importância, cuja administração é aconselhada para prevenir o desenvolvimento de doenças potencialmente fatais como é o caso da parvovirose canina.

Em Portugal, a vacina para a Leishmaniose, tem duas possibilidades, a Canileish® e a Letifend®, ambas têm uma eficácia que ronda os 70%. É importante salientar que esta vacina não previne a doença, mas sim a progressão dela. É aconselhado o uso de repelentes, como por exemplo a coleira Scalibor® ou a Seresto®.

A vacina tosse do canil, é uma doença respiratória aguda muito contagiosa, é uma das vacinas para os canídeos mais procuradas pelos donos no verão, uma vez que é pedida pela maioria dos hotéis para animais de estimação. A vacina para a tosse do canil, como é o caso da Nobivac KC® e da Eurican PNEUMO®, são vacinas que protegem o seu animal dos dois principais agentes infeciosos responsáveis por esta doença, a bactéria Bordetella bronchiseptica e o vírus da parainfluenza do tipo 2.

A febre da carraça nos canídeos tem vários agentes responsáveis, incluindo protozoários e bactérias. Esta vacina confere uma proteção exclusivamente contra o parasita da espécie Babesia canis. Esta vacina é mais recomenda a ser dada a cães onde o risco de infeção é muito elevado, por exemplo os cães de caça ou os cães pastores.

  • QUANDO SE DEVE IR AO VETERINÁRIO?

É um erro muito comum os donos levarem o patudo ao veterinário só para verificar as vacinas, ou quando o cachorro já está doente. Por norma são esses tipos de doenças que poderiam ser evitadas ou detetadas precocemente se a regularidade das consultas fossem mantidas.

O médico veterinário é especializado e consegue identificar sinais de doenças que são impercetíveis aos olhos dos donos. Os exames físicos, por exemplo apalpar de órgãos internos do animal, podem diagnosticar males que para os tutores são invisíveis.

Também é necessário um controlo contra as pulgas e carrapatos (mensalmente) e a desparasitação interna a cada três meses.

  • DOENÇAS

As doenças que normalmente são impercetíveis aos olhos dos donos, mas que podem ser diagnosticadas nas visitas aos veterinário são:

  • Alergias, muitas vezes alimentares
  • Doença do carrapato
  • Vermes
  • Leishmaniose
  • Artrites/artroses
  • Cistite
  • Intoxicação
  • Obesidade
  • Otite, ou seja, inflamação ou infeção do conduto auditivo
  • Câncer, principalmente animais acima de 8 anos e não castrados.
  • Doenças cardiovasculares
  • Doenças endócrinas como hipotiroidismo (em cães) e diabetes.
  • Doenças renais, especialmente em gatos acima de 8 anos.
  • Insuficiência renal (principalmente em gatos)
  • Doenças periodontais (o tártaro, além de causar mau cheiro na boca, também é fonte de infeção bacteriana)

Manter a rotina de vacinação, exames e levar o cachorro ao veterinário é muito importante para a saúde do seu bichinho. Até porque, esse profissional acompanhará a vida do seu patudo por muitos anos!


3.Eduque o seu cão desde cedo!🩺

Problemas de comportamento são frequentemente justificação para o abandono de animais, como se a culpa fosse deles.

É muito importante, no início, que faça uma lista de comandos básicos que pretende que ele saiba logo desde cedo: “deita”, “senta”, “vem”, “fica”, “vai” ou “não”.

É muito importante, logo no início, que ele aprenda a controlar a forma como ladra, deve ensiná-lo a não pedir comida, a evitar acidentes em casa (não morder objetos da casa) e a ser um patudo sociável com outros cachorros para não haver nenhum problema mais grave. Tudo isto é possível de ser aprendido, só precisa de ser consistente, muitos elogios, muita paciência, guloseimas ocasionais e pensamento positivo.

Relativamente a ele não se habituar a comer ou roer objeto, deve educá-lo logo a isso pois ele pode comer objetos errados e alimentos que não são bons para a sua nutrição.

A orientação de um profissional especializado pode ser fundamental, principalmente aos donos que têm um cachorro pela primeira vez e aqueles que têm dificuldade em educar o seu patudo.

Quando começar a treiná-lo para fazer as necessidades no sítio certo, prepare-se que vão haver muito acidentes, não se esqueça de ter paciência e pensamento sempre positivo. Este é o primeiro ponto por onde os donos devem começar.

Os patudos são animais de hábitos, por isso leve-o sempre à rua para fazerem as suas necessidades depois de brincar, comer, antes de ser fechado num local, acordar de uma sesta e sempre que cheirar um sítio que pretende marcar. Se o seu patudo fizer as necessidades no local certo, elogie-o bastante e dê-lhe snack’s ou ração se for possível como recompensa. Com tempo, o seu cachorro vai saber onde e quando deve fazer as necessidades.

Lembre-se que nem todos os cachorros são perfeitos. Pode ser necessário limpar a sujidade uma ou mais vezes. 


4.Socialize o seu patudo🐕

Antes de começar a socializar o seu animal lembre-se que ele deve ter as vacinas todas em dia! Pois pode ser afetado por diversas doenças fatais que entrem em contacto com ele ou até infetar outros patudos.

Já pensou o que aconteceria se uma criança se passasse a sua infância dentro de casa, sem conhecer o mundo? Isso, com toda a certeza, causaria diversos problemas sociais no futuro. Com os patudos, o raciocínio deverá ser igual! Assim, como nos seres humanos, a socialização dos cães é fundamental para garantir um bom comportamento.

É muito simples, coloque-o em diversos locais com diversos cães, pessoas, sons e cheiros, promovendo especialmente relacionamento. Este treino é imprescindível para o futuro do seu patudo! Salientamos que a socialização com os cães, só terá efeitos positivos se a vivência for positiva. Garantir uma boa relação com outros humanos e cães é crucial para o cãozinho assimilar que se interagir é conveniente e agradável.

Se ele for exposto a cães agressivos ou a pessoas que não sabem interagir com cães, o patudo provavelmente vai entender que os seres humanos e outros animais são assustadores e perigosos. Por isso esteja bem atento ao local que vai levar o seu patudo. Aconselhamos que, antes de o levar lá, estude bem o sítio!

Sabe aquelas crianças mal-educadas, que não respeitam as pessoas e que se comporta mal quando está com outras pessoas? Esse será o seu patudo caso ele não tenha uma boa socialização, principalmente quando são novos.

Cães que não foram corretamente socializados ou simplesmente não passaram por esse processo, costumam ser ansiosos e medrosos com qualquer situação nova e diferente. Por isso, é que é muito importante que eles sejam expostos à sociedade que os rodeia!


5.Faça exercício com o seu cachorro 💪

O animal de estimação é nos tão próximo que já é considerado como membro da família, que as vezes os donos esquecem-se das suas necessidades mais primitivas. Eles precisam de estar num ambiente rico e saudável para gastar toda a energia acumulada.

Como sabemos os canídeos descendem dos lobos e se voltarmos no tempo, percebemos que eles, eram selecionados para realizarem certas tarefas aos seus donos, como servirem de guias, cães de guarda, caçar, puxar trenós, nadar em buscas de presas, etc. Ao longo do tempo, os cães, começaram a ser modificados e passaram a ser animais de companhia, e não somente para trabalho, contudo, a necessidade de gastarem a energia é uma condição intrínseca da espécie, independente da sua função.

Podemos destacar alguns dos benefícios do exercício físico para o seu animal:

  • Fortalecimento dos músculos, ossos e articulações: o movimento do corpo obriga que o organismo reaja bem para poder executar a atividade solicitada;
  • prevenção do surgimento de doenças — a movimentação regular do corpo também proporciona o fortalecimento do sistema imunológico do patudo. Isso reduz os riscos de doenças e ajuda na recuperação de enfermidades;
  • melhora do condicionamento físico — os exercícios melhoram a capacidade cardiorrespiratória do animal, deixando-os, consequentemente, mais dispostos, alegres e saudáveis;
  • aumento da obediência — um cachorro que pratica exercícios regularmente é mais feliz e tende a ser mais obediente também;
  • melhora do funcionamento do sistema digestório — com o coração e o sistema circulatório funcionando superbem, o aparelho digestivo também trabalha melhor. Isso faz com que a absorção dos nutrientes seja mais efetiva;
  • manutenção do peso ideal — as atividades físicas têm um papel essencial para manter o peso e evitar a obesidade canina, o que gera inúmeros problemas de saúde no cachorro;
  • combate à depressão e ao estresse — o cachorro expressa seu comportamento natural, evitando o desenvolvimento de distúrbios comportamentais;
  • aumento da atenção e da disposição — os exercícios físicos estimulam os instintos dos cães, o que os torna mais dispostos e atentos ao que acontece ao seu redor;
  • melhora do humor — como dissemos, a produção de hormônios e neurotransmissores é fundamental para manter o bem-estar, a satisfação e o humor dos peludinhos.

A vida agitada e sem falta de tempo do dono afete a saúde do patudo. Temos 3 soluções para que, você e o seu cachorro, beneficiem com a prática de exercício:

  • Leve-o a passear em parques para cães: Leve o seu melhor amigo a passear num parque limpo e que seja amplo, no qual seja seguro ele brincar. Leve consigo brinquedos para o distrair, água para ele estar hidratado e snacks/ração para o presentear quando ele fizer uma boa ação. Nunca o deixe soltos em espaços abertos, nem com cães e pessoas que não conhece. Propomos que combine esses passeios com familiares/amigos, que tenham cães. Assim, eles divertem-se juntos e gastam toda a energia!
  • Faça brincadeiras e exercícios dentro do seu lar: Se não consegue sair de sua casa para o passear, não há mal! Improvise! Por exemplo, vassouras, almofadas, cadeiras, pufes, bancos, garrafões, etc podem servir de circuitos. No início, será necessário, treiná-lo um bocadinho para ele entender o que é preciso fazer, pode dar-lhe snacks ou ração para ele aprender a andar no circuito mais rapidamente. Por exemplo, podem fazer pequenas corridas no corredor, com uma bola na mão para ele ir perseguindo ou então, o típico exercício, de atirar a bola para ele ir buscar. Mas atenção, tenha muito cuidado com os pisos, podem estar escorregadios ou serem mais lisos e o podem magoar-se.
  • Faça exercício na rua com o seu animal de estimação: Por último, se for adepto da corrida ou se quiser começar, leve o seu patudo, mas tenha cuidado, tem que conhecer bem o seu parceiro para saber até que ponto o exercício é prazeroso e para que não se torne um sofrimento. Lembre-se de ter sempre água para o seu patudo. Se não gostar de correr, pode sempre experimentar, andar de bicicleta ou até de patins ou de skate.

6.Cuidados que deve ter durante o passeio! 🩹

Qualquer pessoa sabe que a hora do passeio é um dos momentos preferidos de um patudo, pois além de ele fazer as suas necessidades e gastar a sua energia, ele sente todos os cheiros que o rodeiam, fica a conhecer diversos lugares, socializa com animais e pessoas e acima de tudo diverte-se! Para que tudo corra bem, e que seja prazeroso para o animal, é importante estar atento ao comportamento do cão e do meio que o envolve.

Tenha em atenção os seguintes pontos:

  • O grau de energia que o seu cão tem: Cachorros que são muito ativos precisam de uma caminhada mais longa e exigente, porém quando são cães com baixa atividade temos que ter o máximo de atenção, já que poderão ser idosos, ou de raças que não aguentam uma caminhada tão intensa, ou que tenham um problema de saúde.
  • O tempo de caminhada ou corrida: Tenha cuidado, se for um animal que não está habituado a fazer muito exercício, não pode de repente, começar a caminhar ou correr muito com ele. Assim como nós, os patudos, precisam de começar com uma caminhada/corrida calma e curta e, aos poucos, ir aumentando.
  • Escolha um bom horário: Leve o seu cão a passear quando o sol não está forte! Nunca passeie com ele entre as 10hrs-17hrs (no Verão), o sol aquece muito o asfalto e isso pode provocar queimaduras e ferimentos nas patas do cão.
  • Leve sempre água consigo: Ofereça sempre água ao seu animal, várias vezes, ao longo do passeio, num bebedouro portátil!
  • Esteja sempre atento ao que o rodeia (animais, pessoas e crianças): Esteja sempre atento ao que o rodeia e ao seu cão ao longo da caminhada/corrida. Nunca sabemos quando o patudo irá estranhar algo ou alguém, assim como não sabemos se algum animal chegue ao pé dele e o ataque. É extremamente importante que esteja atento às reações do seu animal e ao que o rodeia!
  • Raças que é obrigatório o uso de açaime: Tenha em atenção que há algumas raças onde é obrigatório o uso de açaime (Pit Bull Terrier, Dogue Argentino, Rottweiler, etc). Sabia que os açaimes que fecham por completo a boca do animal não são para caminhadas? pois impossibilita o animal de abrir a boca e colocar a língua para fora! Esse tipo de açaime só deverá ser utilizado para contenção em procedimentos veterinários. Coloque o açaime algumas vezes em casa por breves períodos para que ele se habitue a ele e não tenha medo de o usar. Depois de o retirar recompense-o com snack’s/ração. Não pode associar apenas a circunstâncias negativas, mas que se sinta confortável em todas as situações!
  • Cuide da saúde do seu animal durante o passeio: verifique sempre que a saúde do seu patudo está bem, verifique se ele tem as vacinas e os anti pulgas em dia para evitar surpresas desagradáveis.
  • Escolha a coleira certa: Tem que saber escolher a coleira certa para o seu patudo. Os cães que puxam muito não devem utilizar peitorais, assim como cães que têm problemas de coluna não devem usar as coleiras de pescoço. Peça a orientação a um veterinário para ajudar nessa escolha.

7.Os banhos! 🛁

A grande dúvida dos donos, em relação aos banhos é: “Será que devo dar banho ao meu cão?”. A resposta é afirmativa, principalmente quando o patudo se sujar em alguma coisa menos “desejável”, como lama e dejetos.

Mas e se, por outro lado, for um cão que raramente se suja? É necessário dar banho? Antes de respondermos é preciso realçar que que todos os cães têm um cheiro corporal muito característico e que se intensifica quando se molha o pêlo do animal, pois a humidade ajuda a dissipação do cheiro e, por essa razão, nota-se mais. Por isso, sim, deve fazer uma limpeza periódica para o cão não ter esse odor exagerado. Para além disso, esses bons hábitos de higiene, irão fazer com que o seu patudo se sinta mais confortável.

Já se ouviu muitas vezes que dar muitas vezes banha ao cachorro é prejudicial ao pêlo e que até pode ficar com um odor mais acentuado ou uma degradação da pele e do pêlo. Nos dias de hoje, considera-se esse facto um mito e muito veterinários aconselham e defendem, que o banho, é como uma rotina e um tratamento único e complementar de patologias dermatológicas.

Tem que ter em atenção que a frequência com que se dá os banhos, também depende da altura do ano. Normalmente, no Inverno, os cães passam mais tempo em casa, não fazem tanta atividade ao ar livre e não estão tão em contacto com o pó do ar, por isso não é necessário tantos banhos repetidos. Contudo, no Verão, é o contrário, as idas à praia, o pó e a sujidade que está em grande quantidade no ar potencializam a acumulação de detritos no pêlo e pele, havendo então maior necessidade de tomar banho.

Quando der banho ao patudo deve ter em atenção os eguintes passos:

  • Temperatura da água: nem muito quente nem muito fria
  • A segurança de cachorro deve estar em primeiro lugar: Coloque sempre uma toalha ou uma base antiderrapante no fundo da banheira, para ele não escorregar. Lembre-se que deve proteger o canal auditivo, preteja sempre para não entrar água!
  • Secagem: No Verão pode utilizar só toalhas para retirar o excesso de água, contudo, no Inverno, deve utilizar o secador, com cuidado, para ele não se constipar por causa do frio e correntes de ar.
  • Escove o pêlo: Esta dica é muito importante principalmente para animais com o pêlo mais longo. Escovar o cachorro evita que se formem nós no pêlo, elimina os pêlos e pelo morta co corpo do animal.

8.Mantenha os dentes lavados, as unhas curtas e ouvidos limpos 🦷

Cuidado com os ouvidos

Por norma os ouvidos de um cão não precisam de limpeza, mas verifique, regularmente, se tem alguma sujidade ou se estão vermelhos. Se vir que o seu patudo se coça muito ou sacode muito a cabeça, leve a um veterinário, pois infeções nos ouvidos ou ácaros da orelha devem ser sempre tratadas por um veterinário o mais rapidamente possível! Se desejar limpar os ouvidos do seu animal em casa pergunte ao seu veterinário qual o melhor método e produto para fazer isso.

Cuidados dentários

É importante que o seu cachorro tenha uma boa saúde oral! Como os seres humanos, os cães, precisam de cuidados dentários regulares para remover a placa bacteriana e o tártaro.

Para ajudar a manter as gengivas e os dentes saudáveis tem que escovar os dentes do cão regularmente. Pode pedir ao seu veterinário como é que pode fazer e para verificar, em todas as consultas, se os dentes estão todos bem. Nunca use pasta dos dentes para humanos no seu patudo! Pode ser prejudicial para a saúde dele, utilize kits odontológicos para cães.

Problemas dentários

Como os problemas dentários são muito frequentes nos cães, tem que começar a ter mais em atenção a boca do seu animal. Verifique, regularmente, pelo menos uma vez por semana, e esteja sempre atento a sinais de alerta:

  • Mau hálito
  • Acúmulo de placa e tátaro nos dentes
  • Sangramento nas gengivas

Ao escovar os dentes do seu cão, diariamente, estar a prevenir problemas dentários, por isso é boa ideia começar assim que ele vai pela primeira vez para casa do dono.

Como é que deve escovar os dentes do cão:

  • Verifique que ele está bem preso na coleira.
  • Veja qual a melhor posição que, você e o patudo, devem estar para que possa ter um bom acesso à boca dele.
  • Deixe ele lamber um bocado de creme dentário para cão no seu dedo.
  • Coloque mais creme dental e comece a passar suavemente nos dentes. Quando vir que ele se habituou a isso, você pode começar a usar uma escova de dentes para cães.
  • Empurre com cuidado os lábios e bochechas para ter acesso aos pré-molares e molares
  • Escove em movimentos circulares e não se esqueça de escovar onde o dente encontra a linha da gengiva, alcançando os dentes muito posteriores, onde os problemas são mais prováveis de se desenvolver.

No início pode parece uma tarefa difícil e assustadora, mas assim que você e o patudo se habituem, depois fica uma tarefa mais fácil.

Para além desta tarefa, pode ainda comprar algumas rações que são próprias para manter os dentes e as gengivas do seu cão saudáveis.

Ou então pode comprar deliciosos snack’s próprios para manter os dentes e gengivas saudáveis:

Ou Brinquedos que ajudam a combater na saúde dentária:

Cuidados com as unhas!

Ao cortar as unhas do seu cachorro, irá minimizar os arranhões durante as brincadeiras e suavizar as pontas afiadas. Pode pedir ao seu veterinário para mostrar-lhe como se cortar as unhas do patudo, pois é importante saber como evitar os vasos sanguíneos e nervos da unha na base rosada perto do dedo.

Se não conseguir ver a parte rosada porque ele tem as unhas pretas, então, o melhor, será pedir ao veterinário ou a um profissional para aparar as unhas.

Normalmente se cortar de 4 em 4 semana é o ideal.

Se cortar as unhas deve seguir os seguintes passos:

  • Use apenas corta unhas projetados para cães.
  • Apresente o cortador de unhas gradualmente, primeiro tocando suavemente as patas dele, enquanto ele estiver se preparando para tirar uma soneca.
  • Acostume seu animal de estimação com o contato com seus dedos pressionando nas almofadas das patas e separando os dedos
  • Primeiro, corte algumas unhas uma vez por semana. Quanto mais você fizer isso, mais familiar isso se tornará.
  • Não se esqueça dos esporões, que são dedos extras na parte da frente ou de trás das patas de alguns cães. Estes podem-se enterrar na pele do cão se não forem bem aparados.

9.Identifique e registe o seu animal! 🔎

Utilize sempre uma coleira com o nome do animal e um número de telefone do dono. No caso de ele se perder de casa ou alguém deixe a porta aberta sem querer, se ele encontrar alguém, essa pessoa pode rapidamente contactar o dono. É obrigatório ainda o cão ter Microship, no caso de ele se perder pode ser identificado com um leitor no veterinário ou na polícia!

10.Deve brincar e mimá-lo 💛

O seu cão é o seu melhor amigo! Ele está sempre ao seu lado, nos bons e maus momentos. os patudos sabem que os donos são os seus protetores, e ele vive para o ver sempre feliz. Ele é o primeiro a cumprimentá-lo quando chega a casa, abanando muito a cauda e a pedir para lhe fazer mimos

Passe o máximo de tempo de qualidade a cada dia, acariciando, brincando com ele, coçando a barriguinha dele e mimando o patudo. Lembre-se, passar tempo de qualidade com seu cãozinho é a melhor maneira de cuidar dele e construir seu relacionamento. Às vezes, a melhor forma de mostrar ao seu animal de estimação o quanto o adora é simplesmente interagir fisicamente com ele: festinhas na barriga ou massagens na zona preferida dele farão bem a ambos.

Se tiver diversos animais de estimação, certifique-se que todos recebem a atenção necessária, pois, alguns animais, podem sentir ciúmes.

Para o ajudar de como fazer festas ao seu cão, juntamos algumas dicas abaixo:

  • A maioria dos cães gosta de receber festas nos ombros, na base do pescoço e no peito.
  • Evite as patas, focinho almofadinhas plantares do seu cão.
  • Acariciar o seu cão pode ser terapêutico tanto para si como para o seu cão: mova a sua mão na direção do pêlo e não contra.
  • O seu cão vai rapidamente mostrar-lhe do que mais gosta, pelo que deve focar-se nessas áreas

Lembre-se que nem todos os cães são iguais. Você, melhor que ninguém, sabe quais os mimos que o seu cão mais gosta!

Mas tenha cuidado! Cães que recebem tudo o que querem quando exigem, ficam mimados. Eles se recusam a obedecer, incomodam muito os donos e podem desenvolver um mau comportamento. Falasse bastante sobre a agressividade gerada por maus-tratos. Mas cães também podem se tornar agressivos por terem sido muito mimados.

Quando um cão começar a latir para que você lhe dê um snack, não lhe dê! Se der é como se o estiver a recompensar por estar a ladrar e a comportar-se mal.

Para evitar esse tipo de desvio de comportamento, é muito importante ser o líder e dono do seu cão. Nunca lhe dê o que ele quer após chorar, latir ou rosnar. O certo é sempre fazê-lo obedecer a uma ordem antes de dar algo.

Esperamos ter ajudado a tornar o seu patudinho mais feliz e saudável!
Não se esqueça de nos acompanhar no nosso Facebook e Instagram!